Meu filho ainda tem um ano, então ele ainda não sabe o significado do dia das mães e nem tem como agradecer ou fazer qualquer coisa para mim. Portanto, eu resolvi escrever uma carta de agradecimento, para mim e para todas as outras mães. Afinal, acho que todas nós merecemos um obrigada, então aqui vai:

Para todas as mães: mães solteiras, mães de criação, mães de coração, mães de dois, três ou dez, obrigada!

Para aquelas mães que ficam em casa com os filhos, obrigada por dedicarem uma vida a eles. Por não terem tempo para elas mesmas e sofrerem um preconceito da sociedade, que acha ou pelo menos diz achar, que essas mulheres não merecem um reconhecimento sem igual. Que não enxergam a dedicação necessária para criar um filho feliz e saudável. Um filho ou filha amado acima de tudo e qualquer coisa.

Obrigada às mães, que trabalham todos os dias nesse mundo “caos” para oferecer a vida que não tivemos seus filhos, que no fundo, mesmo tendo que estar longe, só pensam nos seus bebês felizes e protegidos.

Às mulheres que se sacrificam todos os dias quando saem de casa de manhã sem hora para voltar e deixando seu coração em casa. Que sentem a saudade apertar mas sabem que estão fazendo o melhor possível, sempre para eles.

À elas que sentem dor no peito e o coração partir em dois quando chegam em casa e seu bebê já foi dormir. Às mães que viajam sem parar a trabalho e mesmo sendo a última coisa que querem na vida, perdem aquela partida de futebol ou a apresentação da filha na escola.

Obrigada às mulheres que não tiveram outra opção a não ser trabalhar e sustentar a sua família e que tentam compensar a ausência de todo e qualquer jeito possível que lhe ocorra. Sendo abraça-los horas a fio quando conseguem, ou comprando presentes e lembranças para mostrar-lhes que estão pensando neles.

Às mulheres guerreiras que lutam para criar um filho sozinhas, tentando fazer dois papéis todos os dias e rezam todas as noites para que eles sejam felizes e que a ausência do pai, não seja motivo de tristeza ou sofrimento para suas joias mais preciosas. Que só ela, seja o suficiente e eles não sintam falta de nada.

Às mães divorciadas, que mesmo sofrendo escondem a raiva e o coração partido de suas crianças. À mães futuras, que já guardam dentro de si uma semente de amor e já conhecem e amam essa semente com toda a sua força. Que já fazem tudo por esse amor, conhecem cada chute e cada batida do coração. À elas que erram e que correm atrás do erro depois, afinal, ninguém é perfeito.

Às mães que, infelizmente, perderam seus filhos e mesmo com essa dor diária e indescritível, acham uma forma de seguir em frente. Vocês nunca deixaram de ser mães…

Àquelas mães inseguras como eu, que toda noite se questionam se estão fazendo a coisa certa, educando, alimentando e até brincando da forma certa com suas crianças. Que passam todo seu tempo livre buscando como ser uma mãe cada vez melhor, passam o dia pensando neles e se preocupando. Afinal, ser mãe é se preocupar.

Não adianta dizer que está tudo bem ou que seu filho já cresceu.

Beautiful Mother And Baby outdoors. Nature. Beauty Mum and her Child playing in Park together. Outdoor Portrait of happy family. Joy. Mom and Baby

À todas as mães sem distinções, todas nós passamos pelas mesmas coisas: dúvidas, medos, desespero, felicidades extremas, noites sem dormir, dores nos braços e nas costas, que a gente acha que não vai conseguir levanatar, mas tudo isso alimentado por um amor sem fim.

Mães que tiveram seus filhos por partos humanizados, cesariana ou parto normal, ninguém é mais mãe ou menos por isso. Mães que tem babás, mas se dedicam todos ao dias aos seus bebês. Mães que trocaram a balada por noites em claro e músicas de ninar com um sorriso no rosto.

Mães que mudaram por seus filhos e tiveram força para largar as drogas, a bebida ou os vícios e nunca estiveram tão felizes e completas.

Mães que adotam. Vocês tem um amor inato dentro de vocês e são muito corajosas ! Nem todas as mulheres são capazes desse ato. Mães com filhos especiais, fortes e que lutam todo dia contra a ignorância da sociedade e infelizmente, lida com dificuldades diárias.

Mãe é aquela que vê um acidente na TV e logo liga para saber se o filho está bem, mesmo ele estando do outro lado do mundo. Ser mãe é ser um pouco louca, não existe razão no amor que ela sente, é algo incondicional e incontestável.

Mãe apoia seu filho sempre, fica com brilho nos olhos ao falar de seus bebês, elas que sentem que o filho, por mais adulto que seja, é e sempre será um pedaço delas.

Mãe sente dor, medo, tristeza e até ansiedade com seu filho. Comemora suas vitórias e sente seus fracassos. Mães se desesperam quando seus filhos estão doentes, mesmo que seja uma gripe e entram em pânico com sua incapacidade de fazê-los sarar ou de tomar a doença para si. Mães choram ao ver seus filhos cometendo erros em suas vidas e sentem ciúmes quando seus filhos e filhas começam a namorar.

Obrigada também às avós, que são mães duplamente – para seus filhos e seus netos.

Obrigada principalmente à minha mãe e à minha avó.

A primeira, sempre linda, forte e guerreira, que mesmo enxergando todos os meus defeitos, me apoia e está sempre ao meu lado. Que luta todos os dias, não por ela, mas por mim e minha irmã, sem medo e sem freio. Sempre vou estar do seu lado e  juntas enfrentaremos tudo e todos.

E minha querida avó, que é minha mãe em todos os momentos, ao me dar um livro que eu goste, ao ler uma reportagem no jornal ou até quando me ensina a fazer meu prato favorito , que só ela sabe, para que eu possa fazer para meu filho.

Obrigada a todas vocês. Juntas estamos criando o futuro e com toda a nossa dedicação, será um futuro cada vez melhor e mais brilhante! O dia das mães, de uma certa maneira, é um ano novo. Um momento em que, pra mim, todos os nossos erros são esquecidos e podemos começar de novo melhor, mais fortes e mais sábias.

Feliz dia das mães!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

e