As vezes eu ainda não acredito que sou mãe. Não sei se por que aconteceu tão rápido e de uma forma tão inesperada ou se é assim mesmo com toda mulher. De qualquer forma, ser mãe é a coisa mais maravilhosa, mas é difícil também. Afinal significa é sentir culpa e preocupação 24 horas por dia.

Por exemplo: a noite hora de dormir, o Thomas tomou banho de ofuro, já mamou, tá apagado no berço e a babá (graças a Deus eu tenho condições para ter uma) está indo dormir no quarto com ele. Eu vou finalmente jantar ver novela e dormir. Mas a cada passo, eu quero ir dar mais um beijinho de boa noite, já que eu ainda não fui dormir rsrsrs… Depois quando finalmente eu me deito, já to com saudades e preocupada, querendo ver ele só mais uma vez para ter certeza que está tudo bem. Durante a noite o sono é leve e muito interrompido e lá vai eu a cada vez que abro o olho ver se o Thomas está bem. Realmente, minha mãe e minha tia tinham razão, nunca mais eu iria dormir como antes.

20140211-214927.jpg

Sempre que estou longe dele, sinto como que estivesse alguma coisa faltando e também me sinto culpada de estar longe dele. Mas é como falam no avião: coloque a mascara de oxigênio primeiro em você e depois ajude o outro, afinal se você desmaiar aí não tem ninguém para ficar com o bebê. Por isso, tem que parar para comer, dormir, tomar banho e trabalhar ( mais para frente um pouco, claro), senão a mãe fica acabada e nem consegue cuidar do bebê direito.

Até relaxar vendo um filme, sair para um jantar com os amigos ou um esporte faz parte. Mas aí entra a culpa de deixar ele é ir fazer alguma outra coisa.
Vou ter que dizer que está difícil conseguir alcançar esse equilíbrio. Será que algum dia vou conseguir? Tenho minhas dúvidas, mas enquanto isso eu vou tentando…

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *