Toda vez que encontro amigos e amigas casadas e conto as minhas histórias de solteira, viro um extraterrestre. rs

As pessoas ficam embasbacadas e curiosíssimas sobre as novas formas que nós solteiros usamos para nos conhecer. É quase sempre assim:

– Nossa, Paty, que legal! Onde você conheceu ele?

– Num aplicativo.

– Meeeeeentiraaaaa?!!!!

E lá vou eu explicar como funciona, mostro os perfis, conto porque eu acho tão legal, e no final, eles acabam achando o máximo.

 


Então resolvi escrever esse post para as nossas queridas leitoras, mães e solteiras, que estão aí reclamando que não conseguem conhecer ninguém mas que morrem de vergonha de usar um app desses.


Meus amores, esse é um futuro que já é presente! Assim como na vida real, no virtual também existem pessoas com boas intenções e outras nem tanto. Pessoas de boa índole, inteligentes e educadas, e outras nem tanto. Homens lindos e tímidos, feios mas interessantes, trabalhadores, vagabundos, gordos, sarados, namoradores e sem vergonhas. Pense que se você, uma mulher tão incrível e com tantos valores, está lá, porque um homem bacana como você não pode estar?!

Antes mesmo do João nascer eu já estava super de saco cheio da noite de SP. Baladas, bares (ainda mais pra mim que não bebia)…nem pensar! Depois que o pequeno nasceu, pior ainda!! Quem é mãe sabe: retomar o corpo, a autoestima, se preparar para começar tudo do zero com um filho em casa é uma jornada! E meu bode aumenta ainda mais quando penso nos homens da noite: acomodados, sem atitude. Até porque, as coisas mudaram bastante: hoje as mulheres estão com muito mais iniciativa e assumem quando querem se divertir. Vão pra cima deles meeeesmo!

 

Cada vez mais estão se libertando e assumindo quando também só querem diversão, e se sentem confortáveis em dar em cima de um homem. Eu só funciono bem quando já conheço a pessoa. Quando é pra “paquerar” viro outra Paty: fico travada, faço piada sem graça, não sei receber elogio, perco toda a extroversão e espontaneidade….uó!!! E quanto mais velha, menos coragem eu tenho. Como agora a atitude não está só com eles, são raros os caras que vão se dar ao trabalho de chegar em você e investir tempo numa conversa, trocar telefone e esperar pra ver se vai rolar um dia. Compreensível. Mas nós mulheres que não nos sentimos confortáveis, acabamos tendo muito mais dificuldade para conhecer alguém.

A gente adora pensar que algum amigo ou amiga pode apresentar alguém fora da balada, num churrasco ou algo assim. Mas isso também é quase uma lenda. Raro ainda terem um solteiro bacana para apresentar! Difícil….


Daí entra o aplicativo: Aparecem os perfis dos homens que estão perto de você ou que “cruzaram” o seu caminho em algum lugar que você passou. Lá você vê as fotos, a idade, profissão, amigos e interesses em comum. Se você gostar dele e ele também gostar de você, pronto: deu um “match”! E então o chat entre vocês é liberado para se conhecerem melhor.


O que eu mais gosto nesses apps, é que você pode conversar com calma, ir falando aos poucos, conhecendo, e sem aquele nervosismo e imediatismo do “ao vivo”. Eu mesma sou muito melhor em conhecer por mensagem do que conhecer ao vivo.


Fora isso, sabendo dos amigos em comum, você consegue até dar uma pesquisadinha melhor sobre a pessoa antes de conhecer.

Algumas pessoas tem medo de ser um perfil falso, de estar falando com um criminoso, etc. Mas vamos combinar que conhecer alguém na rua te traz os mesmos riscos?!


Outro fato que adoro é que o app te dá a chance de conhecer pessoas completamente novas, de turmas novas, que frequentam outros lugares! Coisa que seria difícil com você saindo sempre com a mesma turminha, nos mesmos lugares!

Conheci muitas pessoas legais! Fiz amizades, já namorei, já me envolvi por meses e sempre foram pessoas bacanas.

O app é uma janela de oportunidade que dei a mim mesma de encontrar uma pessoa legal, e quem sabe um amor.

Tenho muitas amigas que hoje namoram caras que conheceram pelos aplicativos e estão super felizes!


Por isso, fica o conselho: deixe os preconceitos dos outros de lado, foque na SUA vida e permita-se! Faça um teste, pelo menos. O que não dá é pra ficar sozinha e reclamando do mundo, sem tentar fazer nada por você. Tem que tentar!

Beijos e boa sorte!

Paty

Paty Cayres

Paty Cayres

Paty tem 29 anos e é mãe do João Victor, de 1 ano. Mãe solteira, bem resolvida, de personalidade, tem uma boa relação com o pai e faz tudo para ver o filho feliz!

É publicitária, já trabalhou em agências, mas sua grande experiência é em Marketing de Inovação, gerenciando projetos e criando novos produtos. Trabalhou em grandes multinacionais, em indústrias diversas, como Alimentos e Eletrodomésticos. Desde o início da carreira se destaca pela criatividade e talento em traduzir as necessidades dos consumidores, tendo criado produtos icônicos e de grande importância para as empresas que trabalhou.

É apaixonada por pessoas, artes em geral, viagens, moda, gastronomia, fala pelos cotovelos e nunca, JAMAIS, perde uma boa piada!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *