Você sabe por que colocar seus filhos nas artes marciais? Eu também não sabia então convidei o Bruno Murata para explicar.

Ouso dizer que seria a mais das acertadas das decisões que você poderia tomar em prol do seu filho. E digo por quê.

Além de trazer benefícios para a coordenação motora, flexibilidade e respiração, ganhos tal que muitos outros esportes também o darão, as Artes Marciais, principalmente as de origem asiática, trarão ao seu pequeno grandes lições de conduta e comportamento que farão dele, ou dela, um melhor ser humano no futuro.
photo15

Digo isso por experiência própria. Por muita insistência minha, fui levado à uma academia de lutas pela minha mãe, que tomou a melhor das atitudes: Foi conhecer e conversar com o responsável pelas aulas. Uma vez decidida em qual academia me matricularia, tive dentro daquele ambiente grandes exemplos que levo pra vida.

Unknown-2Em pouco tempo seu filho aprenderá coisas como cumprimentar o tatame, ficar em silêncio enquanto o professor ensina e respeitar os mais velhos e mais graduados. As aulas mostrarão também a validade da persistência, da repetição e do “caia mas levante-se e tente novamente!”.

Um episódio do qual me recordo bem e serve como ilustração do que venho falando se deu quando eu tinha 11 ou 12 anos. Me lembro de após um treino estarmos na lanchonete da academia, e presenciar uma conversa entre dois dos melhores alunos. Um repreendia veementemente ao outro por ter pedido um refrigerante, ele alertava-o para o quanto aquilo poderia o atrapalhar no seu desempenho nas competições. Aquilo ficara marcado na minha mente. Já não era mais minha mãe ou me pai com aquele papo “careta”, eram dois dos caras dos quais eu mais admirava no momento, falando sobre todos os malefícios daquela bebida.

É claro que existem maus profissionais, como acontece em qualquer outra profissão. Por Karate-Girlisso, é de suma importância que vá conhecer o ambiente e os profissionais que ali estão. Procure ver sobre seu passado, seu histórico como professor e atleta, pesquise na internet e, se possível, converse com outras mães.

Hoje existem aulas somente voltadas ao público infantil. Geralmente, a partir dos 05 anos de idade já é possível ver pequenos lutadores no tatame. Mas isso também varia de acordo com o professor e suas regras.

De maneira geral mãe, não se preocupe. Seu filho não irá se machucar. Um bom profissional não deixará ter excesso de contato, saberá dividir em duplas de tamanhos semelhantes e controlará muito bem o andamento das aulas. No mais, prepare-se para morrer de orgulho de seus filhotes!

Grande abraço

Bruno Murata

Bruno MurataBruno começou a treinar aos 11, iniciando pelo Kung Fu. É atleta profissional e treina diversas modalidades, como Jiu Jitsu, Boxe, Wrestling, Taekwondo e Muay Thai. Entre outros títulos, foi 7 vezes campeão paulista de Kickboxing e Campeão da Copa do Brasil de Full Contact. Bruno também participou do reality show The Ultimate Fighter (TUF), da Globo.

É professor desde os 15 anos, começando como instrutor de Kickboxing.

Formou-se em Economia pela PUC-SP, mas seguiu carreira como atleta, a grande paixão de sua vida.

Facebook: Bruno Murata e Instagram: brunomurata_07

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 Comentários:
  1. Rosi azeredo disse:

    Desde os cinco anos , ,quando engravidei do irmão mais novo, meu filho kaio se tornou uma criança agressiva, sem limites todos .Todos falavam que ele tinha problemas .Então, levei a psicóloga que disse que ele não tinha nenhum problema psicológico. …mandou que eu o colocasse pra fazer um esporte. ..minha situação financeira não ajudava naquele momento. Aos dez anos, na escola pública que ele estuda , apareceu um projeto, onde um dos esportes é o judô. meu filho não queria fazer, eu o obriguei.hoje , aos treze anos de idade ele ama o judô e me agradece por eu ter insistido e obrigado ele a fazer .Quando pequeno todas as crianças tinham medo dele, pois batia em todos, não respeitava ninguém. hoje , um adolescente totalmente mudado pelo judô, faixa azul, ja vai mudar pra amarela.eu muito orgulhosa com toda essa mudança, feliz e mais aliviada, pois era desesperador ver meu filho daquele jeito agressivo, ver que ninguém queria brincar com ele ou chegar perto, muito me entristecia…agora o irmão dele de nove anos também começou a fazer judô e os dois vão juntos…o caminho agora é suave, como o judô ensina…sou muito grata ao judô e ao professor Vinicius zanom, que tem toda a paciência com eles e a Deua acima de tudo…..rosi

  2. Geraldo Silvério Ramos. disse:

    Isto não passa de modismo como acontece em todo nosso país em qualquer esporte ensina ser disciplinado,tolerante,paciente, motivação saber perder saber ganhar ser competitivo. Creio que a atitude disso tudo começa em casa. Em um lar onde não há harmonia,respeito entre os casais a probabilidade da criança ser incompreensível é grande. Pra começar parece que o casamento hoje é comercial. E mais a nem toda criança gosta de determinado esporte a escolha tem que ser da própria criança.

    • Rosi azeredo disse:

      Modismo não!!!!É sabedoria!!!o esporte tira nossos filhos dos caminhos ruins,errados….os direciona para um lugar bom,pro meio dd pessoas boas,que tem objetivos…livra das drogas,dos vícios…..Quem faz esporte,dificilmente se envolve em coisas erradas…JUDÔ,CAMINHO SUAVE!!!!

  3. Mara disse:

    Ótima opção para ganho de disciplina, as artes marciais são ótimas.

  4. Marcio Freire disse:

    Eu já vi também o lado ruim, muitos tornam-se violentos. A pessoa passa anos treinando e inconscientemente vai forçando situações para usar suas habilidades em lutas contra leigos, ficam menos tolerantes e querendo resolver tudo na briga onde sabem que terão enorme vantagem. É preciso muito cuidado com o ensino das lutas, sugiro que leiam sobre os jovens pitboys dos anos 90 que batiam em pessoas comuns só por prazer. Com muita orientação a prática de artes marciais pode dar bons frutos.

  5. Rossanna Passos disse:

    Com 3 anos meu filho começou no judô. Hoje eu e ela fazemos hapkido juntos, ele esta com 5 anos, e além do mais, tive um super apoio do próprio pediatra dele. Treinar junto com ele me deixou ainda mais encantada com cada exemplo e disciplina que temos que seguir. Gratidão ao mestre e intrutores por todos os ensinamentos e por toda paciência e exemplo. É uma honra aprender com vocês.

  6. Ótimo depoimeto , sou professor de educação física e atuo como professores judo e venho desenvolvendo um trabalho com criancas( que é minha paixão) a longo prazo a partir do 3 anos como forma de desenvolvimento infantil.

  7. antonio anastacio castelo branco disse:

    O jiu jitsu educa a crianca mais rspido. E quando ela chega a adolescencia, na hora de tomar decisoes, o jiu jitsu, direciona pelo melhor caminho. Por isso nao deixe seu filho ou filha fora do jiu jitsu.Confie!

    • Marcio Freire disse:

      eu ainda tenho medo que a criança acabe aplicando, de brincadeira, golpes em coleguinhas que não treinam e os machuque.

  8. Janny Machado disse:

    Que legal, nem de proposito ,meus filhos de 5 e 6 anos comecou ontem o karate <3 estou ainda mais animada depois desse texto.

  9. Eliane Oliveira disse:

    Coloquei meu filho no karatê,e no início só o que ouvi era que ele ia se machucar,que não deveria ter colocado mas sempre achei e agora mais ainda que esse é um esporte bom pra ele…

  10. Coloquei meu filho para fazer jiu jitsu, porém acho que tem muitos alunos na turma dele, qual o número ideal por turma?