Pessoal, estamos recebendo mais um parceiro aqui no Blog. O meu obstetra! Ele aceitou tirar algumas dúvidas para nós mamãe e futuras mamães, oba!

por: Dr Alexandre Pupo Nogueira
cordao O sangue de cordão umbilical é rico em células tronco – células capazes, teoricamente, de se especializar em qualquer célula, tecido ou órgão do corpo humano.

Atualmente a utilização destas células é muito pesquisada na Medicina. Porém, a aplicação prática destas no dia-a-dia do consultório ainda está longe de ser realidade. Não se vê no horizonte atual da Medicina a reformulação de órgãos (criação de novos órgãos ou revitalização de órgãos doentes) através destas células, apesar do que se lê em relação as pesquisas. A única utilização aceita formalmente hoje em dia é no transplante de medula óssea. Porém, como a probabilidade de se necessitar deste transplante é muito baixa (cerca de 1:2000 ao longo de toda a vida), a recomendação mundial é que os países adotem medidas de conservação do sangue de cordão umbilical em Bancos Públicos de Sangue de Cordão para acesso de qualquer pessoa que dele necessite, tal qual já é feito com sangue para cirurgias e traumas.

Outro fato importante é que torna-se mais fácil encontrar compatibilidade para transplante no sangue de cordão umbilical (1:12.000) do que no sangue de doadores adultos de medula óssea (1:1.000.000). Observar que algumas famílias apresentam doenças genéticas que as impossibilitam de ser doadoras, ou que tornam conveniente a conservação do sangue próprio, porém isso caberá ao médico que acompanha o pré-natal e ao banco de sangue público decidir. Em casos extremos, pode-se recorrer ao aconselhamento genético para decidir sobre se vale a pena preservar o sangue de cordão em clínicas particulares, para uso exclusivo da família.

RSCN0316

Dr Alexandre Pupo Nogueira
CRM 84414 – SP
Especialidade Ginecologia e Obstetrícia
Áreas de atuação específicas: Câncer Ginecológico – Endometriose – Laparoscopia e Histeroscopia Ginecológicas

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *